quinta-feira, 30 de novembro de 2017

Brasil – segundo reinado (modernização e surto industrial)



1) Características
          Durante o reinado do imperador D. Pedro II devemos destacar algumas características econômicas principais:
          - manutenção da estrutura latifundiária e agroexportadora – os latifúndios continuaram a predominar e a maior parte da produção era agrícola, direcionada a exportação. 
          - transição entre o uso da mão de obra escrava e a mão de obra imigrante – devido às leis abolicionistas e à campanha abolicionista, de um lado, e à crescente entrada de imigrantes europeus no Brasil, por outro lado.

2) Surto Industrial
As primeiras ferrovias do Brasil foram construídas pelo Visconde de Mauá.
          Algumas novidades desenvolvidas durante o segundo reinado possibilitaram o surgimento e desenvolvimento de diversas indústrias no Brasil. Não se caracterizava como industrialização por ser de alcance muito limitado. Por isso é usada a expressão Surto Industrial.
          Principais novidades que possibilitaram o Surto Industrial:
          - o protecionismo alfandegário – a partir da Lei tarifária Alves Branco, de 1844 (as taxas alfandegárias ficaram muito mais altas, o que encareceu as importações e estimulou a produção nacional).
          - o fim do tráfico de escravos – a partir da Lei Eusébio de Queirós, de 1850 (os traficantes de escravos passaram a investir em outras atividades, incluindo a indústria).
Barão de Mauá
          - a capitalização de produtores e comerciantes de café – devido aos altos preços do produto no mercado internacional (parte da elite se capitalizou e criou casas comerciais, bancos, indústrias e empresas de serviços).

3) Era Mauá
          O empresário Irineu Evangelista de Sousa, que foi Barão e Visconde de Mauá, destacou-se como empreendedor e foi símbolo da modernização no segundo reinado.
          O Visconde de Mauá investiu em iluminação pública, rebocadores, navegação na Amazônia, construiu ferrovias, instalou o cabo submarino entre o Brasil e a Europa (telégrafo), criou a fundição e o estaleiro da Ponta da Areia (fabricava canhões e navios) e foi um dos banqueiros mais importantes do mundo (Banco Mauá), entre outras coisas.
          Mal compreendido pela elite brasileira conservadora e pelo governo, foi sabotado e perdeu a sua importância quando a maioria das suas empresas faliu.      
Visconde de Mauá 







 


          Existe um bom filme contando a vida deste empresário da época imperial, Mauá: o imperador e o rei (1999), direção de Sérgio Rezende, com Paulo Betti e Malú Mader no elenco (2h 15 min).

          Há versão completa no YOUTUBE:





          Aqui estou postando alguns fragmentos escolhidos, para dar uma ideia e ter vontade de assistir ao filme completo.

                        





 

Nenhum comentário:

Postar um comentário