terça-feira, 8 de setembro de 2015

Movimentos de independência na América Ibérica



Movimentos de independência na América Ibérica


             Durante o século XVIII ocorreram diversas rebeliões coloniais, em várias regiões do continente americano. Originalmente esses movimentos políticos tinham como objetivo pressionar as autoridades da metrópole (país dominador) para mudar as práticas usadas no “pacto colonial”(estrutura de dominação usada pela metrópole na dominação e exploração das riquezas produzidas na colônia).
             A partir da segunda metade do século XVIII a elite colonial passou a adaptar as ideias políticas e econômicas dos filósofos iluministas à realidade colonial americana. Surgiram movimentos políticos que objetivavam a emancipação política (independência).
   


OBS – América Ibérica: é a parte do continente americano que foi colonizada pelos países da península Ibérica (região da Europa formada por Espanha e Portugal).


Vamos usar exemplos de movimentos pela independência que aconteceram na parte da Península Ibérica dominada por Portugal, ou seja, no Brasil.

I – Brasil (segunda metade do século XVIII).
  
    1)   Inconfidência Mineira (1789)
- Representantes da elite, sobretudo da cidade de Vila Rica (atual Ouro Preto), tentaram conquistar a independência de Minas Gerais.


 
Câmara Municipal de Vila Rica (século XVIII)




Câmara Municipal - museu na atualidade.


- Influências externas – iluminismo e Revolução Americana.

- Líderes – Cláudio Manoel da Costa, Thomás Antônio Gonzaga, Padre Rolim, Alvarenga Peixoto, José Álvares Maciel, Tenente Coronel Francisco de Paula Freire de Andrade, Álferes Joaquim José da Silva Xavier (Tiradentes), entre outros.



Vista atual e parcial de Ouro Preto (Vila Rica)


- Objetivos – independência, república, criação de uma universidade, desenvolver a industrialização, etc.

Desenho - Vila Rica (século XVIII)


- Ocorreu uma denúncia, vários líderes foram presos, apenas Tiradentes foi executado na forca após julgamento condenação como líder do movimento.

Alferes Joaquim José da Silva Xavier (Tiradentes).


Tiradentes - julgamento



Tiradentes foi enforcado com cabelos cumpridos?




Reunião de planejamento dos inconfidentes.



Bandeira idealizada pelos inconfidentes.



                    Cláudio Manoel da Costa                                                                                                  Thomas Antônio Gonzaga.




2)  Conjuração Baiana (1798) – Também conhecida como “Revolta dos Alfaiates”.

- Ocorreu em Salvador, Bahia. A liderança do movimento foi predominantemente popular, com forte participação de negros.



Centro histórico de Salvador - época recente.



Salvador no final do século XVIII.



Influências externas – iluminismo, Revolução Americana e Revolução Francesa.




- LíderesCipriano Barata, o tenente Hernógenes Aguilar e Francisco Moniz  (ligados à elite baiana), Inácio da Silva Pimentel, Romão Pinheiro, José Félix, Inácio Pires, Manuel José e Luiz de França Pires,  Manuel Faustino dos Santos Lira e João de Deus do Nascimento (alfaiates), além de Luiz Gonzaga das Virgens e Lucas Dantas.


                  Cipriano Barata

Reunião dos revolucionários baianos



- Objetivos – independência, república, fim da escravidão, diminuição dos impostos, etc.





Bandeira elaborada nos debates da conjura baiana. As cores da bandeira faziam alusão a Revolução Francesa e seu ideal de liberdade, igualdade e fraternidade. Ao centro, segundo tradução de Cândido da Costa e Silva, a inscrição “Apareça e não se esconda”.


- Ocorreram denúncias, vários líderes foram presos. Os líderes de elite foram libertados, alguns envolvidos mais pobres foram degredados para a África. Apenas quatro foram condenados à morte e enforcados: Manuel Faustino dos Santos Lira, João de Deus do Nascimento, Luiz Gonzaga das Virgens e Lucas Dantas.




Enforcamento dos líderes da revolução de 1798.





Nenhum comentário:

Postar um comentário