quarta-feira, 2 de agosto de 2017

Estrangeiros no Brasil



Disputas pelo território brasileiro
- O Tratado de Tordesilhas, assinado entre Portugal e Espanha em 1494, não era reconhecido pelos outros reinos europeus. Eles defendiam o princípio do direito à posse da terra por quem a ocupasse.
1) Franceses no Brasil
(A) França Antárctica (1555 – 1567)
- Na França aconteciam conflitos entre católicos e calvinistas (huguenotes). O projeto francês era criar uma colônia onde não ocorressem lutas por motivos religiosos. Vieram colonos católicos e huguenotes.
- A França Antártica foi criada em 1555.
Baía do Rio de Janeiro - atual baía da Guanabara
- Os franceses aportaram na Baía do Rio de Janeiro (atualmente chamada de Guanabara), comandados por Nicolau Durand de Villegagnon. Por dez anos resistiram aos portugueses, organizaram um Arraial e construíram um forte, chamado Coligny. 
- Os franceses fizeram amizade com os índios Tupinambás que, junto com outras nações indígenas, guerreavam com os portugueses contra sua escravização (a rebelião das tribos indígenas contra os portugueses ficou conhecida como a Confederação dos Tamoios).
conflitos luso-franceses no Rio de Janeiro
- A primeira expedição organizada por Mem de Sá contra os franceses ocorreu em 1560. Destruiu o Forte Coligny, mas não conseguiu expulsar os invasores.
Governador Geral Mém de Sá
- Em 1563 a Metrópole enviou reforços para o governador comandados pelo capitão Estácio de Sá, que conseguiu reforços em Pernambuco, Bahia, Espírito Santo e em São Vicente (inclusive índios Termininós).
- Em combate, Estácio foi ferido e morreu. Em 1567, Mem de Sá trouxe reforços e conseguiu expulsar os franceses.
- O saldo desta luta foi a fundação da cidade de São Sebastião do Rio de Janeiro.                         
(B) França Equinocial (1612 – 1614)
Jerônimo de Albuquerque
- No reinado de Luís XII, na França, foi desenvolvido outro projeto de ocupação de uma parte do Brasil: o Maranhão.
- Os colonos franceses fundaram a cidade de São Luís (homenagem ao rei francês)
- A reação militar portuguesa foi comandada por um brasileiro mestiço chamado Jerônimo de Albuquerque.
- Mesmo com expulsão dos franceses a cidade de São Luís foi mantida e Jerônimo de Albuquerque foi nomeado governador do Maranhão.

(C) Corsários franceses no Rio de Janeiro (1710 e 1711)
- Em 1710 o corsário chamado Jean-François Duclerc atacou a cidade do rio de Janeiro, mas foi derrotado e preso. Foi morto em circunstâncias que não ficaram claras.
Corsários franceses no Rio de Janeiro - 1711
- No ano de 1711 o corsário Renè Duguay-Troion fez outro ataque ao Rio de Janeiro. Algumas teses sustentam que a motivação seria uma vingança à morte de Duclerc.
- A esquadra do corsário entrou na baía em manhã de forte nevoeiro, o que confundiu os defensores. A cidade foi dominada e um riquíssimo resgate foi pago pela libertação (ouro, açúcar e gado).


2) Holandeses no Brasil
(A) Antecedentes - União Ibérica (1580 – 1640)
Rei Felipe II - Espanha
- O rei Felipe II, da Espanha conseguiu se impor como herdeiro do Trono Português, em 1580.
- A partir desta época, o conflito que havia entre a Espanha e a Holanda passou a atingir os territórios portugueses.
- A disputa pelo domínio sobre a vantajosa economia açucareira levou a que a Companhia das Índias Ocidentais Holandesas desenvolvesse um projeto de domínio das áreas produtoras de açúcar no Brasil (que na época era colônia portuguesa).
(B) Holandeses na Bahia (1624)
- O plano dos holandeses era dominar primeiramente a capital, Salvador, depois expandir os ser domínios sobre o Brasil todo.

Ataque holandês a Salvador - 1624
       - O ataque holandês foi facilitado por um conflito que havia entre o Governador Diogo de Mendonça Furtado e o Bispo D. Marcus Teixeira.
- Após dominar a capital, os holandeses não conseguiram expandir seus domínios devido a um grupo guerrilheiro que os atacou sem trégua.
- Uma esquadra enviada pelo rei D. Felipe derrotou e expulsou os invasores.
- O fracasso na Bahia quase causou o fechamento da Companhia das Índias Ocidentais. A empresa foi salva porque um corsário da companhia conseguiu aprisionar o Galeão da Prata espanhol.
(C) Holandeses em Pernambuco (1630 – 1654)
- Um novo ataque holandês foi direcionado para a capitania de Pernambuco (maior área produtora de açúcar na época).
- A resistência liderada pelo governador Mathias de Albuquerque foi derrotada quando os holandeses receberam a ajuda de um brasileiro chamado Domingos Fernandes Calabar (antigo ajudante de Mathias de Albuquerque).
Maurício de Nassau
- A Companhia das Índias Ocidentais contratou o nobre alemão Maurício de Nassau para administrar a região dominada, com o cargo de Governador.
- Nassau promoveu atividades artísticas e científicas (criou um observatório astronômico e levou artistas e cientistas para Pernambuco). Ele emprestou dinheiro aos senhores de engenho, permitiu liberdade religiosa e criou uma nova capital no Recife (cidade Maurícia).
- Sem receber o reconhecimento da direção da Companhia das Índias Ocidentais, Nassau demitiu-se e retornou para a Europa. Foi o início da decadência do domínio holandês.

Recife - época colonial

 - As guerras na Europa facilitaram a Revolução Pernambucana a conquistar vitórias sobre o enfraquecido exército holandês em Pernambuco (a restauração da Monarquia Portuguesa e a Guerra do Frete, entre Holanda e Inglaterra). 

Pernambuco - Franz Post
- Após a expulsão do nordeste brasileiro, os holandeses passaram a investir muito na produção de açúcar nas ilhas do Caribe (Antilhas). Essa ideia foi seguida por franceses, ingleses e espanhóis. O custo de produção era menor e a distância para a Europa era mais curta. O açúcar das Antilhas era vendido mais barato do que o que era produzido no Brasil. Isso causou a decadência da lucratividade da economia açucareira do Brasil.

Nenhum comentário:

Postar um comentário